sexta-feira, 13 de abril de 2012

"Somente coque e óculos não mudam a sociedade"


Abril Despedaçado, Abril Vermelho, Abril pro Rock. Abril de São Jorge e São Marcos.
Abril do signo mais sensual do zodíaco e Abril da Revolução dos Cravos.


Ou seja, abril é o mês da Paixão, do Amor, da Cultura, das Crenças, das Lutas e também
da... Poesia!




As cores

A sociedade não tem piedade
carregada de espinhos e desigualdades
instituições, igrejas, faculdades.

Libertar a Teologia
Ocupar a Reitoria
Aula de Democracia

O vermelho Luta
O branco Paz
O verde Chaiss





!.!

Se tudo, um dia,
[vai que] dê certo,
a Revolução
não será letrada.




In[ter]texto

Querem-me rotulado!
Mais um produto midiático dessa indústria de pão [caro] e circo [óbvio].

Subestima-me quem acha que nasci [apenas] para entreter!
Meu estereótipo, assim como toda sexta-feira treze,
é a razão!

Minha missão.. minha busca.. minha formação,
fizeram-me ponto de interrogação.

Nem especializado,
nem pontual.
Sou intertextual




palavra-mundo*

olha, escuta!

antes de tudo, a palavra foi voz
perceba que há bocas em luta, e nós
estando entre estantes, não estamos sós
a guerra cá dentro foi começada lá fora
humanos conflitos ressoam nos escritos
- & a hora de agir é agora


escuta: olha!

transformar o que existe será sempre o mote
dos que vislumbram nas letras outro norte

traçando e tecendo histórias
reescrevendo nossas memórias
inventando esquecidas tradições
massacrando essa traição
do não saber escutar, ou olhar
                       - o outro
(à margem
                                         do 'ler')

 *em homenagem ao sorridente recifense Paulo Reglus Freire





e de tantas mazelas, de tanto sofrer
veio o momento em que doeu
a proteção se desfez em cacos
aquilo que prendia, se rompeu


os olhos lacrimejavam
os cabelos esvoaçavam
e, na garganta, o grito rompeu


mas era madrugada
e, no silêncio, morreu





Toy Story
 
Resumos de Teorias e Métodos
Modestamente Descritivos
Não Orientam corações em Brasa
às Três Marias Joanninas
 
Meros Elementos de Lógica...
Informação,Ciência,Tecnologia
Não Evitam nossa sede de Guerra...
Bora...Q’edar a Bastilha?
 
Ocupar o gabinete dos velhos
Que as Rodas da História agoniza !
E, na Prainha, ir alem; girar cigarrilhas
 
Que São Remo nos de Asas
E o Pequeno Rio sabedoria
Qual Oliveira; resistente, bela e profícua.




Desengano da vista

Ah, senta aqui
Pr'eu te dizer o que te direi
Tu só me vê se tu não se ver
É o mistério que nenhuma discussão vai sanar
A doença vai trazer
A vida vai levar
E tu vai continar a lu(t)ar
O brilho dela não vem dela
E dela tu não vê
Pois sou velho, meu filho
E te digo que nada vai mudar
Pode sentar na tua cadeira
Antecipa a tua decisão de vida
E essa energia?
O luar continua a iluminar
Não dela
Mas doutro lugar
E tu não sabe
Mesmo se tu rasgar as roupas
Apontar os dedos
O destino é imperdoável
Vai te condenar por algo que tu não vê
Igual a lua que não tem luz e tu não vê
Tu não vê, não sabe quem é
Vai
Antecipa



Um comentário:

  1. Os textos estão cada vez melhores! Parabéns à todos! E viva à POESIA!

    ResponderExcluir